quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

Cai a farsa - Mentiras em sites religiosos


 A MENTIRA
1) “E também eu te digo que tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela” (Marcos 16.18). “Tu és Pedro” (“petros”, palavra grega designativa de pequenos blocos rochosos, fragmentos de rocha, pedras pequenas, pedras de arremesso). “Sobre esta pedra (“petra”, rocha grande e firme). Logo, a Igreja seria firmada sobre a Rocha. Jesus é a “petra”, a Rocha sobre a qual Sua Igreja está edificada (Daniel 2.34; Efésios 2.20; Atos 4.11; Romanos 9.33; 1 Coríntios 10.4; 1 Pedro 2.4). Se a Igreja é o corpo de Cristo, Pedro não poderia ser o cabeça da Igreja. A cabeça desse corpo é o Senhor Jesus (Efésios 1.22-23; Colossenses 1.18).

ONDE SE ENCONTRA A MENTIRA
http://www2.uol.com.br/bibliaworld/igreja/responde/ecl001.htm
A VERDADE:
A tempestade de argumentos é uma técnica muito usual em um proceder proseletista ou quando se tem receio de que a resposta a uma questão possa tornar uma tese inválida. Assim, sobrecarrega-se o número de questões de forma que quem responda possa cometer algum equívoco ou esquecer de algum ponto, não concedendo a devida atenção a algum detalhe crucial que possa comprometer a dissertação.
Sendo assim, concentrar-me-ei na primeira questão, aquela de Petros e Petra. A argumentação protestante clássica é a diferença de sentido existente entre o nome próprio Petros e o substantivo petra. Parece até um “auto-reply”, uma resposta automática, repetida seguidamente.
Descendo ao âmago da questão, diz-se que “Petros” significa “pequena pedra” e “petra” quer dizer rocha. Podemos refutar isso de diversas maneiras. Uma delas é dar o próprio veredicto de falsidade ao argumento, posto que petra e petros no “grego koiné”, ou seja, o grego comum falado na época (primeiro século) eram sinônimos. O termo mais próprio para “pequena pedra” na época de Cristo seria “lithos”, que é usado na passagem em que Jesus é tentado a transformar as “pedras” em pão.
Secundariamente, admitindo-se que a afirmativa seja verdadeira, podemos ainda remontar ao aramaico. Sim, ao aramaico, pois como um bom estudioso do assunto deve saber, o evangelho de São Mateus tem a singularidade de ter sido escrito em aramaico. Além disso, a língua falada pelos judeus ao redor de Jesus (e pelo próprio) era o aramaico. Nesse caso, o sentido é claro e só há uma palavra. Kepha e kepha. Sabemos disso também porque São Paulo usa o termo adaptado ao grego “Cefas”.

E uma outra forma é a incoerência do texto ao analisarmos cuidadosamente a passagem atribuindo o sentido protestante. Adaptando-se, ficaria mais ou menos assim: “Bem aventurado és tu, Simão, filho de Jonas, porque não foi a carne ou o sangue que revelaram isso a ti, mas o meu Pai, que está nos céus. Por isso eu te digo, Tu és uma “pequena Pedra”, mas sobre a grande rocha que sou eu edificarei a minha Igreja e as portas do inferno não prevalecerão contra Ela. Eu te darei as chaves do Reino dos céus e tudo o que ligares o será e vice-versa”. Vamos lá, queridos. Façamos uma reflexão sobre a coesão de tal trecho. Simão é bem-aventurado. Por isso, Jesus edifica a Igreja sobre Si mesmo e dá as chaves a Pedro, que é Simão com o nome já alterado (sem qualquer razão muito plausível).
Por fim, a questão é óbvia. Todo ser humano é capaz de entender o texto usando de sua inteligência, sem “forçar” a interpretação, sem insultar a sabedoria humana que Deus nos deu.
Acredito que esteja claro que o Primado foi conferido pelo próprio Jesus a Pedro.
Quanto ao restante das questões, quando a Igreja proclama um dogma não faz alteração da Doutrina. Na verdade, Ela reconhece o que sempre existiu, mas que se compreendeu mais tardiamente.
Não precisamos que algo esteja na bíblia para que este algo seja validado ou não. Convém que não se esqueça de que a Bíblia é filha da Igreja, e não sua mãe, posto que foi a própria Igreja quem definiu seu cânon (até onde eu e os exegetas sabemos, não há desde a primeira página de Gênesis até a última de Apocalipse nenhuma definição de cânon bíblico). A Bíblia é sagrada porque a Igreja a declarou assim e a canonizou desta forma. E de fato, as milhares de denominações protestantes são criações de homens. Desde Lutero, Zwinglio, Calvino e afins, elas não param de se proliferar, sobre os nomes mais absurdos. Tem um tópico aqui, se não me engano, com os nomes bem criativos destas seitas.
O ‘nome’ “católico Apostólico Romano” não é um nome, é uma definição. Somos católicos porque nossa Igreja é universal (o primeiro uso desta definição foi dado no início do séc. II por Santo Inácio de Antioquia, se não me engano), ou seja, estende a salvação para todos por Cristo. É Apostólica porque sua liderança descende de forma direta dos apostólicos, de modo contínuo, ininterrupto. E diz-se romana, porque sua sede encontra-se em Roma, onde o Apostolo São Pedro, tendo sido bispo daquela Igreja, foi o primeiro chefe. Quanto à acusação à igreja de Roma, é um belo absurdo!
O Texto de Mateus é claro como a mais branca neve. Jesus fala diretamente a Pedro.. “tu és Pedro” , “eu te darei as chaves do Reino dos Céus”, “tudo que ligares”, “tudo que desligares”. De fato, não atribuir a Pedro o título de “pedra” é tornar turva a interpretação real deste texto. Isso sem contar que em Aramaico, língua que Jesus falava, o nome Pedro simplesmente não existe! Pedro era chamado de “pedra”. Em outras palavras, em Aramaico Pedro=Pedra, e o nome correspondente em aramaico é “Kepha” (no filme ‘A Paixão de Cristo’ se pode ver que é assim mesmo que Jesus e os outros chamam Pedro). Somente no grego esta diferença entre Pedro e Pedra passou a existir, e no Latim, e assim por diante.

Um comentário:

  1. "para que todos sejam um, Pai, como Tu estás em mim e Eu em Ti. Que eles também estejam em nós, para que o mundo creia que Tu me enviaste." (João 17:21)

    A vontade de Deus o Pai e de seu Filho Jesus, é que todos os cristãos sejam um, isso sujere unidade ou união mas na realidade não é o que vemos por aí.

    "E, se um reino se dividir contra si mesmo, tal reino não pode subsistir;" (Mc 3:24 e Sl 133:1)

    Divisão significa duas visões, no Brasil cada religião cristã tem uma visão diferente da outra, por isso a tendência do reino religioso é deixar de existir por falta de união.

    “E perseveravam na doutrina dos apóstolos e na comunhão, no partir do pão e nas orações” (At 2:42)
    "Quanto ao mais, irmãos, regozijai-vos, sede perfeitos, sede consolados, sede de um mesmo parecer, vivei em paz; e o Deus de amor e de paz será convosco." (II Cor. 13:11)

    O povo de Deus não está perseverando, não vivem em paz, não tem um mesmo parecer ignorando assim o ensinamento dos apóstolos portanto desagradando o criador.

    "Jesus respondeu, e disse-lhes: Derribai este templo, e em três dias o levantarei." (Jo 2:19 e Mt 25:2)

    O próprio Jesus é contrário ao modelo de sistema religioso institucional, com essa declaração ele mesmo constituiu cada cristão um templo ao ressuscitar no terceiro dia.

    "Ou não sabeis que o vosso corpo é o templo do Espírito Santo, que habita em vós, proveniente de Deus, e que não sois de vós mesmos?" (I Cor. 6:19)

    Não existe necessidade de prédios físicos, agora Deus o Pai e Jesus o Senhor habita dentro de cada um que o receber como Senhor e salvador.

    "Mas o Altíssimo não habita em templos feitos por mãos de homens, como diz o profeta:" (Atos 7:48)

    Veja que a vida do Deus altíssimo pelo seu Espírito não habita em construções feitas por mãos humanas porque Jesus aboliu esse modelo de adoração.

    "Deus é Espírito, e importa que os que o adoram o adorem em espírito e em verdade." (João 4:24)

    Adorar em espírito significa exaltar, louvar, glorificar, engrandecer, ter temor reverencial ao Espírito de Deus que habita no cristão através da maneira de viver, falar, comportar-se, tratar o próximo como Jesus tratou, amando, bendizendo, orando, tendo compaixão, misericórdia, sendo pacificador, curando e desejando o bem sempre.

    "Mas vòs sois a geração eleita, o sacerdòcio real, a nação santa, o povo adquirido, para que anuncieis as virtudes daquele que vos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz;" (I Pe 2:9)

    A palavra igreja no novo concerto significa pessoas convertidas a Cristo em um determinado lugar, e não religiões institucionalizadas com cargos hierárquicos e fins comerciais ou lucrativos, Jesus nunca cobrou 1 centavo sequer para anunciar a palavra do Pai celestial o Mestre não teve religião e não deixou nenhuma para ser seguida, deixou-se a si mesmo para ser seguido como exemplo de amor.

    "Mas aquele Consolador, o Espírito Santo, que o Pai enviará em meu nome, esse vos ensinará todas as coisas, e vos fará lembrar de tudo quanto vos tenho dito." (Jo 14:26)

    Maior e melhor professor: O Espírito de Deus.

    “E a unção que vós recebestes dele, fica em vós, e não tendes necessidade de que alguém vos ensine; mas, como a sua unção vos ensina todas as coisas, e é verdadeira, e não é mentira, como ela vos ensinou, assim nele permanecereis." (I Jo 2:27)

    É a unção de Deus na vida do cristão que o ensina tudo através da sagrada escritura.

    "Então disse Jesus aos seus discípulos: Se alguém quiser vir após mim, renuncie-se a si mesmo, tome sobre si a sua cruz, e siga-me;" (Mt 16:24)

    As lideranças do sistema de religiões principalmente as cristãs têm mantido suas mentes e a de seus seguidores igualmente engessadas e cativas ou escravas de ensinamentos que são preceitos de homens enquanto que o Filho de Deus veio para libertar os filhos do altíssimo da rotina religiosa e do endeusamento dessas instituições que se tornam fanatismo e idolatria em suas vidas.

    ResponderExcluir